A Comissão da Reforma da Previdência da Câmara de Deputados adiou para essa quarta a leitura do relatório da PEC 287 – a leitura estava prevista para hoje. Não foi informado o porquê da mudança. Mas com certeza a pressão da sociedade contra os deputados da base do governo no Congresso está surtindo efeito. Todas as pesquisas de opinião registram que uma enorme maioria é contra as reformas de temer. Dia 28 de abril tem greve geral contra as reformas e os professores das escolas particulares do estado do Rio vão participar.

DO SITE DA CÂMARA DE DEPUTADOS: A Comissão da Reforma da Previdência (PEC 287/16) transferiu para amanhã a apresentação do parecer do relator, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA).

Na semana passada, Maia apresentou uma versão preliminar do seu parecer com mudanças que eliminam a idade mínima para que uma pessoa entre na regra de transição da reforma; que era de 45 anos para a mulher e de 50 anos para o homem na proposta original. Na proposta do governo, o cidadão teria que cumprir um pedágio de 50% do tempo de contribuição calculado pelas regras atuais.

Segundo Maia, sem idade mínima, cada um saberá se a transição é mais favorável que as regras novas ou não. De qualquer forma, todos teriam que obedecer a uma idade mínima de aposentadoria logo após a promulgação da reforma; uma idade que seria elevada progressivamente até 65 anos.

A reunião da comissão especial para discutir o parecer do relator está prevista para as 9 horas, em plenário a definir.

Leia aqui sobre os motivos de sermos contra as reformas da Previdência e trabalhista.